Câmara afasta do cargo prefeito de Uruburetama após denúncia de abuso sexual

Câmara afasta do cargo prefeito de Uruburetama após denúncia de abuso sexual

Os vereadores de Uruburetama decidiram, nesta segunda-feira, por unanimidade, afastar do cargo, por 90 dias, o médico e prefeito do município, José Hilson de Paiva, após denúncias que o comprometem em abuso sexual contra pacientes suas em hospitais da cidade. Hilson teve a filiação suspensa pelo PCdoB.

Dos 11 vereadores, 9 compareceram à sessão convocada, de forma extraordinária, para apreciação do pedido de afastamento de José Hilson. Ele se disse vítima de perseguição política. Todos os vereadores presentes votaram pelo afastamento do gestor municipal.

O estopim para a decisão dos vereadores foi a reportagem, na noite desse último domingo, no programa Fantástico, da TV Globo, que mostrou imagens do médico e prefeito com gestos de abuso contra as pacientes. Moradores de Uruburetama acompanharam sessão em que os vereadores decidiram afastar do cargo o prefeito do Município.

Uma comissão da Câmara formada por três vereadores irá elaborar o relatório do processo que pode cassar o prefeito. Dois vereadores se declararam suspeitos por terem parentesco com o Hilson de Paiva: Cristiane Cordeiro Costa, filha do prefeito, e Alexandre Wagner Albuquerque Nery, filho do vice-prefeito; eles foram representados pelos suplentes Robério Costa e Wilson Barroso.

O vice-prefeito de Uruburetama, Artur Wagner Vasconcelos Nery, será convocado nesta terça-feira (16) a comparecer à Câmara Municipal para assumir o cargo.